Maputo acolhe oficina de desenvolvimento do Plano Nacional de Acção para a Segurança Sanitária

Com o objectivo de fortalecer parcerias estratégicas para segurança sanitária em Moçambique, o Ministério da Saúde (MISAU) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) realizaram de 11 a 13 de Outubro do ano em curso, mais uma oficina de trabalho sob o lema: “Desenvolvimento do Plano Nacional de Acção para a Segurança Sanitária em Moçambique”.

Moçambique realizou em 2016 a avaliação da implementação do Regulamento Sanitário Internacional (RSI), através da ferramenta Joint External Evaluation Tool (JEE) e identificou lacunas. O JEE é um processo voluntário cuja avaliação é realizada através de um sistema de pares e envolve uma combinação de especialistas nacionais e internacionais independentes.

Este ano foram identificadas prioridades em 11 áreas técnicas a serem abordadas num novo Plano Nacional de Acção que visa fortalecer substancialmente as capacidades essenciais do RSI nos próximos anos 5 anos.

Discursando à margem do evento, o secretário permanente do MISAU, Zacarias Zindoga, referiu que Moçambique foi o terceiro país a nível mundial a realizar esta avaliação.
“Este plano inclui acções de reforço dos sistemas de vigilância, de fortalecimento de capacidade laboratorial, de desenvolvimento de uma força de trabalho robusta, e de construção de um sistema de resposta forte e abrangente”, frisou.

Djamila Khady Cabral, representante da OMS em Moçambique, referiu que a oficina tem em vista contribuir para criação de condições de base para o desenvolvimento e a consolidação das capacidades de preparação e respostas as emergências sanitárias no país.

A oficina contou com cerca de 120 participantes nacionais, internacionais e a participação multissectorial de diversos ministérios e instituições públicas, sector privado, parcerias nacionais e internacionais.