Ensino

Cursos de Pós-Graduação

O envolvimento do Instituto Nacional de Saúde (INS) no estabelecimento de programas de pós-graduação em áreas estratégicas do sector saúde tem sido uma prioridade institucional. Assim, o INS tem estabelecido parcerias estratégicas com instituições congéneres e de ensino superior, dentro e fora do país, para o leccionamento destes cursos.

Actualmente estão a decorrer os cursos a seguir descritos:

Mestrado em Ciências de Saúde

Iniciado em 2008, o Mestrado em Ciências de Saúde, é co-organizado e implementado pelo INS e pela Fundacão Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). Este curso visa formar o quadro do pessoal da instituição e do Sistema Nacional de Saúde na área de biociências e investigação clínica. O Mestrado em Ciências de Saúde cursa com disciplinas leccionadas em Maputo por docentes Moçambicanos e Brasileiros, que são seguidas por um período para a execução de um trabalho de investigação para a tese de Mestrado. A certificação dos graduados deste curso de Mestrado é feita pela FIOCRUZ.

Desde 2008 este Mestrado formou 28 Mestres sendo 20 do INS, 3 da Faculdade de Medicina, 3 do Hospital Central de Maputo, 1 da Direcção Provincial de Maputo, 1 da Direcção de Assistência Médica e 1 da Direcção Nacional de Saúde Pública.

Podem ingressar neste programa estudantes que são licenciados em Medicina, Enfermagem, Farmácia, Medicina Dentária, Saúde Pública, Biologia, Medicina Veterinária, ou outras áreas afins ás ciências clínicas e biomédicas; estudantes que tem tempo mínimo de serviço de 2 anos; idade máxima de 45 anos; que se comprometem a trabalhar para o Serviço Nacional de Saúde por um período correspondente ao período da duração do curso e que tem parecer favorável do local de trabalho (onde conste a informação do desempenho, confirmação dos anos de trabalho, tipo de nomeação).

O programa de Pós-graduação inclui um Mestrado académico, em regime integral e com duração máxima de dois anos.

 

Mestrado em Epidemiologia de Campo e Laboratorial

O Programa de Formação em Epidemiologia de Campo e Laboratorial de Moçambique (PECL), designando em inglês como Mozambique Field Epidemiology and Laboratory Training Program (M-FELTP), foi estabelecido em Moçambique em 2010, como um programa de pós-graduação em serviço baseado em competências, com dois ramos de formação: Epidemiologia Aplicada e Gestão Laboratorial em Saúde Pública. O PECL compreende 2 (dois) anos de formação para o curso do Mestrado (MECL) e 2 (duas) semanas de formação para os cursos de curta duração em epidemiologia.

O PECL foi concebido para treinar estudantes de Epidemiologia de Campo e de Laboratorial para os cargos de liderança nos diferentes níveis do Mistério da Saúde (MISAU), e funcionários que implementam programas de saúde pública. Adicionalmente, o PECL foi desenhado para fortalecer as capacidades de epidemiologia aplicada e gestão laboratorial em Moçambique, como forma de fortalecer os desafios em relação as actuais doenças infecciosas, emergentes, e re-emergentes e outros problemas de saúde pública.

Os estudantes deste programa prestam serviços ao MISAU, nos diferentes níveis (distrital, provincial e nacional) durante e após a sua formação.

O PECL é gerido pelo Instituto Nacional de Saúde (INS), conta com a parceria da Direcção Nacional de Saúde (DNSP) do MISAU, a Faculdade de Medicina da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), e com a assistência técnica do Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, através dos escritórios do CDC-Moçambique e CDC-Atlanta. Toda formação é realizada em Moçambique. Este programa é inspirado no modelo de Field Epidemiology Training Program do CDC.

 

Mestrado em Sistemas de Saúde

O Mestrado em Sistemas de Saúde é um curso de pós-graduação a tempo  realizado com apoio técnico da Fundação Oswaldo Cruz, através da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP) – Rio de Janeiro e do Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães (CPqAM) – Recife, contando com apoio logístico do Ministério da Saúde de Moçambique, das Direcções subordinadas e apoio financeiro do Centro de Desenvolvimento e Pesquisa do Canadá.

O curso contempla 12 módulos ministrados ao longo do primeiro ano, reservando-se o segundo ano para seminários avançados de desenvolvimento de competências e consolidação técnico metodológica em paralelo com a implementação de projectos de pesquisa para dissertação. Os formandos adquirem competências para pesquisa multidisciplinar e social em sistemas de saúde, como por exemplo, pesquisas em políticas de saúde, avaliação de programas e pesquisas mistas de implementação ou operacionais.

 

Doutoramento em Ciências de Saúde 

Organizado pela Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), em coordenação com o Instituto Nacional de Saúde (INS), o programa de doutoramento em Ciências de Saúde iniciou em 2014 e tem como objectivo formar pesquisadores e docentes na área de ciências da saúde em Moçambique.

O Programa de Doutoramento é de regime integral e tem uma duração máxima de 04 anos (48 meses). A conclusão da tese de Doutoramento é precedida por um período de estágio no Brasil, com o objectivo de realizar créditos e realizar experimentos e/ou análises dos dados obtidos. A defesa da tese de Doutoramento poderá ser realizada no INS ou na FIOCRUZ, e o título de “Doutor em Ciências” é conferido pela FIOCRUZ, através do Instituto Oswaldo Cruz. 

Neste momento este programa conta com dois estudantes cujas teses são sobre Hepatites Virais e Rotavírus.

 

Cursos de Formação Contínua

Com a finalidade de melhorar a qualidade dos serviços no SNS através da qualificação dos profissionais que actuam na rede de laboratórios de saúde pública, o INS realiza em parceria com as várias direcções do MISAU e as direcções provinciais de saúde, cursos de Formação Contínua em áreas de sua competência.

A gestão dos cursos de formação contínua, a organização do acervo físico e electrónico das formações e a actualização da informação sobre as formações na plataforma do Sistema de Informação de Formações (SIFo) é feita pelo DEIC.

 

Programa de Bolsas de Iniciação Científica

O Programa de Bolsas de Iniciação Científica (PBIC), criado pelo INS em 2011, visa por um lado estimular pesquisadores do INS produtivos a envolverem estudantes de graduação nas actividades científicas, tecnológicas e, por outro lado, proporcionar ao bolsista a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o gosto pela ciência, pelo pensamento crítico e pela criatividade.

Especificamente o PBIC tem como objectivos:

- Introduzir os estudantes de graduação em programas de iniciação na pesquisa científica,

- Colocar os estudantes em contacto directo com a actividade científica mediante sua participação em projectos de pesquisa sob a orientação de um pesquisador produtivo do INS e

- Despertar a vocação científica e incentivar novos talentos

O programa é direcionado a estudantes regularmente matriculados que estejam no 2º ou 3º ano de cursos de graduação nas áreas de ciências biológicas e ciências sociais de instituições públicas ou privadas, sedeadas na cidade ou província de Maputo.

Em finais de 2016 iniciou a edição 2016-2017 do Programa da Bolsa de Iniciação Científica, com 06 estudantes provenientes da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) e Escola Superior de Jornalismo (ESJ).

 

Estágios Pré-Profissionais e de Culminação dos Cursos de Graduação

O estágio é uma etapa importante no processo de desenvolvimento e aprendizagem, porque promove oportunidades de vivenciar na prática conteúdos acadêmicos, propiciando desta forma, a aquisição de conhecimentos e atitudes relacionadas com a profissão escolhida pelo estagiário. Além disso, o programa de estágio permite a troca de experiências entre os funcionários de uma empresa, bem como o intercâmbio de novas ideias, conceitos, planos e estratégias.

É partindo deste princípio que o INS acomoda estágios pré-profissionais e de culminação de cursos de graduação.

O INS recebe estagiários provenientes de diversas instituições de ensino como a UEM, a Universidade Pedagógica (UP), a Universidade Politécnica e ESJ, encontrando-se distribuídos em diversos sectores do INS com maior adesão aos laboratórios.

 

Eventos organizados pelo Ensino

Como forma de estimular o processo de ensino e aprendizagem, o Departamento organiza eventos científicos envolvendo estudantes e os respectivos coordenadores de pós-graduação.

Alguns eventos já realizados, são discriminados a seguir:

Fóruns de pós-graduação

O fórum de Pós-Graduação surge como oportunidade de intercâmbio entre os estudantes que frequentam os cursos de Pós-Graduação coordenados pelo Instituto Nacional de Saúde. Este serve para troca de experiência entre os estudantes, e estimula a reflexão sobre alguns problemas prementes da saúde no País.

O primeiro Fórum de Pós-graduação foi realizado entre os dias 09 e 11 de Março no Anfiteatro do MISAU-1º andar.

Este evento contou com a participação dos estudantes dos cursos de mestrado em Ciências de Saúde, Sistemas de Saúde, Epidemiologia de Campo e Laboratorial, Especialidade em Saúde Pública e técnicos do INS em Pós-graduação. Igualmente estiveram presentes os coordenadores destes cursos, convidados e alguns funcionário do INS. 

O segundo Fórum de Pós-graduação está previsto para Março de 2017 e conta também abranger estudantes e técnicos do INS em pós-graduação.

Palestras para Pós-Graduação

Com o objectivo de (i) partilhar experiências e conhecimentos de trabalho, que possam ter interesse académico que englobe as diversas áreas de formação do INS (ii) envolver os estudantes no mecanismo de funcionalidade do sistema de saúde, nacional e internacional e (iii) actualizar os estudantes com conhecimentos sobre temas de interesse e actuais na area biomédica e áreas afins o Departamento de ensino organizou, no segundo semestre de 2016, palestras de pós-graduação.

O DEIC já organizou no total 04 palestras, descritas na tabela a seguir.